FICAR DESCALÇO DURANTE O VOO TRAZ RISCO À SAÚDE

Apesar do status e do espírito de aventura que circundam as viagens de avião, esse momento é, para muitos, bastante desconfortável – principalmente para os viajantes de classe econômica. Pouco espaço nas poltronas, escassez de privacidade, comida (muitas vezes) mediana… Há também quem sofra com a altitude e o deslocamento, que provocam pressão nos ouvidos e até inchaços nos pés e nas mãos.

Para quem incha durante os voos (ou para quem quer apenas ficar mais à vontade), tirar os sapatos é uma boa opção? A resposta é NÃO.

De acordo com equipes de bordo das principais companhias aéreas do mundo, o carpete dos aviões está repleto de bactérias e sujeiras pouco visíveis a olho nu, especialmente nas regiões dos banheiros e da cozinha (a chamada galley). São resíduos de comida, bebida e até mesmo vômito no carpete das aeronaves, já que a equipe de limpeza apenas retira o conteúdo aparente, mas não desinfeta o local. Nas adjacências da galley, cacos de vidro são comuns, assim como pedaços de papel higiênico próximos ao banheiro.

Andar descalço também pode causar dificuldades em situações de emergência, já que os sapatos tornam-se obstáculos em uma possível evacuação. Sem contar o cheiro de chulé e o aspecto tenebroso das unhas de quem não preocupa em dar o mínimo trato nos pés. Além disso, no caso daqueles que costumam ficar com pés inchados durante os voos, pode acontecer de, ao final da viagem, os pés não caberem mais nos sapatos.